O inferno é universal


Sabia que nem todas as igrejas cristãs acreditam na existência do inferno? Eu mesmo fui educado a não crer nisso. Mas essa discussão fica para outra hora e lugar, porque esse não é um blog de teologia. Então por que eu comecei o texto mencionando isso? Para fazer polêmica e chamar atenção? Também, mas não só. Eu comecei esse texto assim porque eu estou sendo levado a crer que o inferno existe sim, e está tomando conta da Terra. Quer que eu prove?

Vou começar pelos Estados Unidos, porque a gente presta mais atenção neles do que em nós mesmos. A profecia que acontece lá é parecida com a quarta praga do Apocalipse: o sol e o fogo. Os estados da Califórnia e do Oregon estão enfrentando os maiores incêndios da história da costa oeste: dezenas de pessoas mortas, milhares de casas destruídas, um céu laranja e aterrorizante sobre as metrópoles da região. E sabe o que torna tudo pior? Saber que um desses incêndios monumentais foi provocado por um tipo de festa cafona conhecida como “chá de revelação” (infelizmente, nenhuma profecia nos preveniu sobre isso).

A costa oeste dos Estados Unidos é, de fato, uma região com incêndios naturais, que fazem parte do ciclo de vida da vegetação. O mesmo se pode dizer de algumas regiões da Austrália - lembra que ela queimou ano passado? Nesses dois lugares, um fenômeno natural tomou proporções escatológicas. Mas como conceber que o fogo está destruindo regiões conhecidas pela humidade e as grandes áreas alagadas? E se estamos falando de uma grande contradição, é claro que estamos falando do Brasil.

Eu diria que o nosso inferno tupiniquim tem o adicional da terceira praga do Apocalipse: rios e fontes de águas transformados em sangue. Mais de 25 mil hectares de área de preservação foram queimados na região do Pantanal, no estado do Mato Grosso do Sul. A Polícia Federal suspeita de incêndio criminoso para fazer pasto, deixando um total de zero pessoas surpresas. E não vamos nos esquecer dos incêndios na Amazônia, cuja fumaça fez o dia virar noite em São Paulo no ano passado - essa é uma profecia bônus, a trombeta do quarto anjo do Apocalipse. Quer entender de onde surge a besta?


Como nasce um inferno

É até um clichê dizer que todo filme de tragédia começa com cientistas sendo ignorados, mas essa continua sendo a vida real. O aquecimento global é uma grande realidade que muitos continuam se negando a acreditar. Especialmente governantes, que flertam com ideias autoritárias, e com o fundamentalismo religioso… Ligou os fatos? Apocalipse 17 descreve uma orgia entre os reis da Terra e uma prostituta, sentada num monstro, e embriagada com o sangue das pessoas justas. Que tal interpretar esse símbolo assim: estados e igrejas se corrompendo, se aliciando, protegendo seus privilégios, e tirando a vida dos inocentes.

Enquanto nossas maiores riquezas naturais pegam fogo, sabe qual é a preocupação de Brasília? O perdão da dívida das igrejas. A situação é tão absurda, que dá vertigem só de tentar explicar. O deputado David Soares (DEM-SP) meteu no meio de outro projeto a proposta para anistiar dívidas e encerrar cobrança de tributos sobre o lucro das igrejas. Esse deputado é filho de R. R. Soares que, infelizmente, dispensa apresentações. Só a sua igreja deve mais de R$ 37 milhões. Seguindo a recomendação do Ministério da Economia, o presidente que não deve ser nomeado vetou parte do projeto. Mas, nas redes sociais, ele incentivou o Congresso Nacional a derrubar o seu próprio veto. Ele diz que só vetou para evitar cometer crime de responsabilidade, evidenciando que esse perdão de dívidas é inconstitucional.

E o que dizer então do mais novo ultraje que Marcelo Crivella protagonizou? Depois de colocar gente paga com dinheiro público para atrapalhar jornalistas, os homens de confiança do prefeito do Rio de Janeiro podem estar envolvidos num esquema que cobrava propina de empresas para garantir contratos com a prefeitura. Há até suspeita de que a Igreja Universal do Reino de Deus tenha sido usada para lavar dinheiro. Crivella foi alvo de uma ação da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro. E o nome da operação é o tipo de ironia que eu adoro: Hades. Na mitologia grega é o deus do mundo dos mortos, a tradução literal dessa palavra seria “túmulo”, mas dá para associar Hades com a ideia cristã de inferno. 


O inferno nosso de cada dia

Só na história recente do Brasil podemos citar: o Museu da Língua Portuguesa, O Instituto Butantã, o Museu Nacional, o aumento histórico de queimadas na Amazônia, e agora o Pantanal. Parece que, no nosso país, o fogo destrói apenas a cultura, a ciência e a natureza: justamente os recursos mais valiosos na tão comentada Era da Informação. Aquilo no qual os países ricos mais investem é literalmente o que o Brasil queima, sempre e sempre acreditando que o país será salvo por bois, e por um homem branco que segura uma Bíblia que ele nunca estudou.

Eu espero que você tenha entendido que todas as referências bíblicas que eu fiz nesse artigo foram apenas para ironizar, ilustrar, provocar. Qualquer tipo de fé é bem vinda, se houver liberdade, coerência e respeito. São muitos os possíveis infernos que podem se materializar na sociedade, mas chega a hora de se olhar no espelho e perceber quando nós mesmos é que somos os demônios. Nesse momento, em que o fogo é literal, de qual pecado cada um aqui deveria se arrepender? O estado livre e democrático não deve ser tomado por religiosos - tenho certeza que os anjos dizem amém para isso.


Edson Nova é cantor e jornalista. Toda terça-feira sai um novo artigo sobre o universo da cultura POP. Compartilhe agora, e siga no Instagram e no Twitter.

Comentários

Mais Lidas