Benigno: não mata, mas é uma doença [nº 3]



Sala de espera para entrevista de emprego: ninguém sai de uma sem duvidar um pouco mais de si mesmo. Afinal, convenhamos, sempre fica óbvio quem ali vai ser contratado. Você sente que a sua cara de pobre está mais evidente do que nunca. E essa cara chega antes mesmo de você poder mostrar o quanto estudou.

Sempre tem o cara de terno completo e o cara com camiseta de malha e tênis falsificado. Sempre tem alguém com um perfume almiscarado horrendo. Sempre tem uma menina de calça apertada, talvez tentando apelar para… Mas o recrutador parece preferir o menino de calça apertada. Droga! Eu deveria ter vindo com o jeans que encolheu na lavagem.

Começa uma daquelas dinâmicas de grupo super úteis: como alcançar o Nirvana com biomassa da pós-modernidade. Todo mundo começa a fingir que sabe o que está fazendo. Menos o cara do terno completo: ele passa quase todo o tempo no banheiro. Eu acho que já comi um “brisadeiro” perto de um templo budista… Eu conseguiria lembrar se esse perfume pavoroso não estivesse bloqueando a minha alma.

Minha vez na entrevista individual: "Prazer, Benigno Malta". Mas claro que não tenho prazer algum. Eu realmente não vejo necessidade em você ter que fingir que gosta de trabalhar 44h a cada semana por menos de dois salários mínimos. Mas será que… A não! O perfume horrendo está em mim! Deve ter vindo daquela tia folgada de 1,40m que se agarrava em mim a cada freada do metrô. Não devo ter sentido antes por causa do suvaco que estava bem mais perto do meu nariz. 


Benigno Malta é um personagem criado por Edson Nova. Os contos saem toda quinta-feira, e há outros conteúdos nas terças e sábados. Venha xingar muito no Twitter: acompanhe os perfis clicando nos links

Comentários

  1. Respostas
    1. Sweetheart, acredite: lutar é o que ele faz desde que percebeu que tinha encarnado pobre no Brasil.

      Excluir

Postar um comentário

Mais Lidas